Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Câmara aprova sessões de cinema adaptadas para pessoas com TEA em São Caetano

Publicado: Terça, 13 de Setembro de 2022, 09h56 | Última atualização em Quinta, 24 de Novembro de 2022, 10h01 | Acessos: 68

A Câmara de São Caetano do Sul aprovou, em segundo turno, nesta terça-feira, 13, o projeto de lei que dispõe sobre a obrigatoriedade da realização de sessão de cinema adaptada a pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e suas famílias no município.

 

Segundo o projeto, as salas e cinemas passam a serem obrigas a reservar uma sessão mensal para as pessoas com TEA, assim como suas famílias.  O projeto também estabelece outras determinações, como o volume de som reduzido e a não exibição de publicidades.

 

O vereador Américo Scucuglia (PTB), autor do projeto, pontuou a importância de se ter uma sessão de cinema adaptada para pessoas com TEA "para ser mais objetivo e não muito cansativo para eles", disse o parlamentar.

 

 Regimento Interno

 

O poder Legislativo também discutiu a aprovou dois projetos de resolução de autoria da mesa diretora da Casa que propõem alterações em seu Regimento Interno, sendo um dos projetos focado na reestruturação de suas sessões ordinárias, como por exemplo a criação do "Pequeno Expediente", com meia hora de duração, passando o tempo de duração das sessões para três horas e meia, e a antecipação do horário de início da sessão para as 16 horas.

 

Os dois projetos de resolução tiveram um total de seis emendas apresentadas, sendo duas de autoria da mesa da Câmara, em conjunto com o vereador César Oliva (PSD), uma de autoria do vereador Parra (Podemos) e três de autoria da vereadora Bruna Biondi (Psol). Somente as emendas de autoria da mesa foram aprovadas, sendo os projetos encaminhados para a Comissão de Justiça e Redação para o entrosamento das mesmas.

 

Demais matérias

 

A Câmara Municipal aprovou, em primeiro turno, o projeto de autoria da prefeitura que altera a lei nº 4.940, de 29 de setembro de 2010, que dispõe sobre a proibição de queimadas na cidade, atualizando os canais para denúncia, e, em segundo turno, o projeto de lei de autoria da vereadora Bruna, que obriga a afixação de avisos com o número do Disque Denúncia da Violência Contra a Mulher - Disque 180. A Casa também discutiu e votou mais seis proposituras, entre projetos de lei e moções de repúdio.

 

 

13/9/2022

 

 

Voltar

registrado em:
Fim do conteúdo da página